Atas de Reuniões da Diretoria da APJor

Local: Rua Girassol, 139, 1º andar, sala de reuniões – Centro Executivo Vila Madalena

Horário: 19h30. Ordem do dia: Professores e Estudantes / Evento Envolverde / Cursos

Presentes: Fred Ghedini; Ralph Peter; Ana Aragão, Mara Ribeiro. 1 – Mercado: Avaliação da conjuntura; falência da Editora Abril e o jornalismo nas eleições são temas atuais e pertinentes para debate. Sugestão é fazer apontamentos a respeito desses temas e postar na página do Facebook da entidade. Atualizar sempre. Foi comentado que a página está bem apresentável, chamativa e com bons temas. 2 – Professores de jornalismo: Já foi feito contato com alguns professores de jornalismo para que tanto eles, quanto seus alunos, conheçam a APJor e seus propósitos. Como Fred esteve num evento de jornalismo encontrou alguns professores que se propuseram a ajudar a causa. Entre eles estão: Dennis de Oliveira, coordenador do curso de Jornalismo da ECA-USP; dois colegas da Faculdade São Judas, a Jacqueline a Maria Lucia; e Fernando que é coordenador de jornalismo na FIAM e alguém fácil de conversar; também citou a Beth coordenadora de jornalismo da ESPM. 3 – Alunos: a ideia é oferecer atividades complementares e cursos. Ana Aragão discorda da oferta de cursos, porque diz que não servem para nada. Mas os demais membros discordam, acham importante oferecer atividades extracurriculares que atualizem e aprimorem o conhecimento em comunicação, tanto para alunos como para colegas em geral. No caso dos universitários será feito um planejamento para que eles complementem as 240 horas de atividades suplementares com supervisão com parceiros da APJor junto com a Faculdade; inicialmente o ideal seria fechar o convênio com 4 ou 5 faculdades, pois não temos braço para acompanhar mais do que isso. Entre as possibilidades de convênio estão: São Judas. Fiam, ESPM e ECA-USP. Ainda se pode pensar, mais adiante, em PUC-SP e Mackenzie. Aqui solicitar a ação de Antônio Graça e Marlene. 4 – Evento em parceria com a Envolverde no Centro Unibes Cultural: o evento acontece amanhã, quinta-feira, 30/08. A ideia é aproveitar o evento para falar da importância da APJor. 5 – Informes: Mara comunicou que tentou parceria comercial com Kalunga e IBM, por enquanto sem sucesso. IBM se interessou em conhecer melhor o projeto da APJor. Vamos convidar a responsável para um café. Mara se responsabilizou em gravar o áudio da Roda de Conversa para disponibilizar posteriormente nos canais da entidade. 6 – Onde investir nossa energia na etapa final da gestão: chegou-se à conclusão de que é importante dedicar a energia dos que participam da APJor no Grupo de Estudos, nas Rodas de Conversa, na nossa página web e demais canais de comunicação. E, também, seria interessante organizar mais um curso antes do final do ano. 7 – Sobre a Festa d@ Jornalista 2019: também foi citado que deveríamos pensar com antecedência a Festa do Jornalista 2019. Tentar fazer a festa com o SESC Pompéia. Surgiu a ideia de realizar uma semana de atividades com pocket show e no final o tradicional baile. Fred avisou que vai tentar falar o mais breve possível com Danilo Miranda, diretor do Sesc-SP, também para refazer a exposição dos outros bailes, melhor organizada. Caso o Sesc-SP não tenha condições, precisamos propor outros locais.  8 – Novos Associados: Fred colocou que é importante conseguirmos mais 25 associados. Ralph disse que tem alguns amigos que ele tem certeza que se chamar eles entram. Mas tem receio de que quando for comentar de reuniões nunca sabe o lugar certo e que isso pega mal para a imagem da entidade. Então foi resolvido que vamos fechar todas as datas até o final do ano de reuniões no escritório atual, na Vila Madalena. Mara ficou de ver com o condomínio as seguintes datas: 12 e 26/09; 10 e 24/10; 07 e 28/11 e 12/12 Festa de Confraternização.  Ana também disse que tem muitos amigos que pode chamar para a entidade, tendo citado especificamente o de Wagner Belmonte. Foi decidido então que na próxima reunião ordinária, ao invés de ser no escritório, será um evento social, aos moldes daquele de boas-vindas aos novos sócios. Mas a ideia aqui é acolher possíveis novos sócios, conversar sobre a entidade, convidar para entrar. Vamos marcar no Tubaína Bar.

Ata da reunião de Diretoria aberta de 11 de abril de 2018

Decisão 1 – vamos continuar nossa campanha de novos associados até o final do mês. A base é a lista de pessoas que recebem o Notícias da APJor, complementada com os contatos pessoais de vocês com outros colegas que não estão naquela lista. Essa lista já foi enviada a todos(as). Se necessitarem de ajuda, peçam à Marlene que está nos assessorando neste trabalho. Nossa meta continua sendo atingir os 50 associados (somos 21, por enquanto).

Decisão 2 – Vamos associar pessoas que estejam sem condição financeira imediata de arcar com novos compromissos. Essas pessoas terão um abono no primeiro ano de associado. Evidentemente, trata-se de uma condição especial: se ampliamos isso demasiadamente, nosso caixa, que já é pequeno, desaparece de vez.

Peço que as pessoas que podem ir à reunião da próxima 4ª deem um retorno. Eu irei.

Assinatura dos Diretores presentes:

Fred Ghedini ___________________ (autor desta ata)

Dal Marcondes ___________________

Mônica Paula ___________________

São Paulo, 18 de abril de 2018.

Decisões da reunião de 23 de maio de 2018

Presentes: Celso, Dal, Everaldo, Fred, Mara e Marlene.

Peço que os demais diretores (Fábio Ramalho, Mônica Paula e Luciana Juhas) se manifestem sobre as deliberações, para que elas possam ser validadas.

Ponto 1 – Temos quatro novos associados aprovados (falta apenas checar quais deles já pagaram suas anuidades):

– José Carlos Aparecido Pinto – Limeira/SP (estamos aguardando o pagamento para a conclusão do processo de associação)

– Franklin Valverde – São Paulo;

– Elaine Aparecida (Nane) de Souza – Bauru/SP; e

– Caru Schwingel – São Paulo/SP

Demais deliberações:

 2 – Fizemos um bom debate sobre a necessidade de definirmos claramente um foco de atuação para a APJor. Definimos que este foco é provocar o debate qualificado sobre o conselho profissional dos jornalistas. Para isso, vamos trabalhar para que a APJor se torne, no prazo de um ano, referência na questão do conselho profissional de jornalistas.

Nossa bandeira de luta é: reabrir o debate sobre o conselho profissional dos jornalistas, na categoria e com a sociedade.

Lembramos que conselho profissional quer dizer velar pelas boas práticas e engloba o nosso lema: por um jornalismo ético e plural. Desse ponto de vista, não há nenhuma mudança em relação ao que já havíamos decidido até aqui.

Inclui, também, necessariamente, a questão da regulamentação do exercício profissional.

Fred coordenará o Grupo de Estudos sobre Conselho Profissional (imediatamente depois do feriado da próxima semana vocês receberão material sobre isso, complementando o que já foi enviado e que será publicado em nossa página web).

3 – Sobre a questão da sustentabilidade da APJor: há um grupo de trabalho coordenado pelo Dal que já está trabalhando nisso.

4 – Em relação à lista de trabalhos em andamento ou novas propostas Celso propôs que realizemos apenas os projetos e propostas para os quais houver um responsável.

A relação do que estamos fazendo/planejando está sendo reenviada aqui, com um acréscimo e com a correta identificação dos anexos. Sendo assim, está aberta a temporada: vocês podem se candidatar a assumir uma ou outra dessas tarefas.

Sobre o Grupo de Estudos do Conselho, vai uma boa parte do material entre os anexos a esta mensagem. Aguardem para marcarmos, entre os interessados, a primeira reunião preparatória do GE.

Abraços e bom final de semana,

 

Fred – 25 maio 2018.

Presentes os integrantes da diretoria Fred Ghedini, Dal Marcondes, Luciana Juhas e Mônica Paula; o conselheiro Celso Bacarji; os integrantes da Diretoria Ampliada Ralph Peter e Alysson Rodrigues, e os jornalistas Roberto Esteves, Katherine Rivas e Mara Ribeiro.

Recebemos as visitas das colegas Denise Fon e Elke Muniz.

A reunião ocorreu no auditório Vladimir Herzog do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo.

1 – Novos sócios: Mara Ribeiro foi admitida como sócia. Ela criticou, na nossa Ficha de Associado, a ausência da opção “Assessoria de Imprensa” entre as atividades exercidas pelos jornalistas no mercado de trabalho profissional. Após breve debate decidiu-se retirar as opções apresentadas em nossa página Web para esse item, substituindo pela pergunta: “Qual função/atividade (ou quais funções/atividades) você exerce como jornalista profissional?”.

2 – Passamos aos projetos para o 1º semestre de 2018. Como primeiro ponto Mara Ribeiro expôs a proposta da realização pela APJor de uma atividade voltada para os jornalistas de assessoria em abril ou maio deste ano. O objetivo é, nas palavras de Mara, “desmistificar o Marketing Digital”. O evento seria realizado em parceria com a jornalista Luciana Duarte (Téte a Téte Soluções Corporativas). Ela ficou responsável pela elaboração do projeto para o evento a ser enviado por e-mail para os colegas da Diretoria Ampliada antes da próxima reunião.

3 – No debate do ponto anterior, Roberto Esteves falou sobre a situação dos repórteres fotográficos, insistindo na necessidade de se fazer algo diante de uma situação de total descalabro no mercado de trabalho do segmento em que o profissional tem sua foto publicada como destaque da primeira página e recebe o valor de R$ 200,00 ou menos, R$ 140,00, no jornal de maior circulação do país. Roberto Esteves e Fred ficaram de preparar projeto de Roda de Conversa a ser realizada neste início de 2018. Será a primeira roda de conversa realizada por nós neste ano.

4 – Marlene trouxe o tema dos cursos planejados para este semestre. Foi dado informe sobre a reunião dela e de Fred com representantes da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESP) a respeito de uma possível parceria baseada na oferta de um curso sobre ética jornalística ainda neste primeiro semestre. Fred ficou de apresentar proposta com os objetivos do curso na próxima reunião e, depois, encaminhá-la à FESP. Outros cursos em projeto para o semestre: sustentação econômica de projetos dos próprios jornalistas; jornalismo e meio ambiente de José Alberto Gonçalves; como melhor utilizar as redes sociais. O de José Alberto Gonçalves será provavelmente o primeiro a ser oferecido. Depois virá o curso do Dal Marcondes (sustentação econômica dos projetos dos Jornalistas) e, em terceiro lugar, o de redes sociais. Na sequência virão o curso de ética jornalística e um outro de jornalismo de imagem em multiplataformas, com o colega Erivam Morais de Oliveira.
Fred ficou de registrar a marca do IFJ no Registros.br.

5 – Seguindo com a apresentação das propostas para o 1º semestre de 2018, foram analisados os itens aprovados na última reunião de 2017. Foram retirados os itens que estão fora do foco principal de atuação da APJor. O resultado está no quadro a seguir:

Linha de ação

Atividades

1 – Nosso primeiro papel é buscar compreender que jornalismo está sendo construído a partir das mudanças em curso. Devemos insistir nos debates, rodas de conversa, grupos de estudo e outras iniciativas que possam ajudar e clarear as coisas nessa direção. A proposta de um conselho profissional está em boa parte ligada à profissão que está sendo redesenhada agora

– Roda de conversa sobre a regulação da profissão e um conselho profissional que seja parte dessa regulação (como a questão do repórter fotográfico passou a ser a primeira roda do ano, esta será a segunda);

– Grupo de Estudo sobre Regulamentação e Conselho Profissional;

– Grupo de Estudos sobre Jornalismo Digital (aguardamos novo posicionamento do grupo formado pelo colega Eduardo e outros(as))

2 – Ética jornalística: questão central na profissão.

– Curso sobre a ética jornalística no dia a dia da profissão: As eleições vêm aí! (está em preparação);

– Projeto 0800 (não debatemos este projeto na reunião. Ficou para mais adiante)

3 – A questão da pluralidade. Pluralidade e respeito ao público são temas correlatos. A pluralidade decorre, em parte, da aplicação das boas práticas e das normas éticas do jornalismo. Decorre, também, de questões econômicas, sociais e políticas que interferem na conformação dos veículos jornalísticos e sua relação com os jornalistas, o poder e a sociedade.

– Projeto de Campanha Publicitária voltada para a sustentabilidade econômica de projetos jornalísticos de jornalistas: angariar assinantes e/ou doadores; educar o público para a necessidade de financiar tais projetos, para termos uma imprensa plural. Dal Marcondes propõe outra ideia. Vamos conversar sobre o tema e voltaremos ao assunto

4 – A questão da unidade dos jornalistas em torno da defesa da profissão e da dignidade profissional/relação dos jornalistas com a sociedade.  Trabalhar a ideia de que a concretização dessa linha de atuação pode ter como ponto de partida a unidade das organizações já existentes em questões importantes e pontuais.

– Festa d@ Jornalista, em 7 de abril de 2018, envolvendo o Sindicato, a ABI-São Paulo, Arfoc-SP e outras entidades/movimentos de jornalistas…;

– A defesa do Edson Silva, como propõe o Sérgio Gomes, da Oboré (aguardamos novos desdobramentos);

– A médio prazo, constituir um Fórum de entidades, organizações e movimentos de jornalistas visando um trabalho unitário pró-fortalecimento da categoria e defesa do jornalismo ético e plural;

5 – No terreno das boas práticas profissionais, há um hiato entre os jornalistas experientes e os novos. Devemos trabalhar propostas que operem nesse vazio, juntando uns e outros. O trabalho da Grupo de Estudantes de Jornalismo da APJor vai nessa direção.

– O Grupo de Estudantes de Jornalismo da APJor-São Paulo e o Projeto Foca em Foco – há um texto da Marlene com uma análise do que está acontecendo e algumas propostas. O texto está anexado a este relato (Anexo)

 

Os itens 6 a 13 ficaram para ser analisados na próxima reunião da Diretoria Ampliada (remarcada para 7 de fevereiro).

6 – No ponto “Balanço da APJor em 2017”, decidiu-se que os integrantes da Diretoria Ampliada devem analisar dois textos propostos por Fred para concluir a questão na próxima reunião (Relatorio_de_atividades_2017_dez_5) e Relatorio_de_Atividades_2017_22_dez_complemento). Quem tiver comentários, complementações, propostas de substituição, envie para fredghed@gmail.com até a data da reunião ou leve e apresente na reunião de 7 de fevereiro. Será o encerramento do prazo para emendas ao Relatório de 2017.

7 – Em relação ao item “Campanha dos 50 primeiros associados”, Dal Marcondes propôs que cada um de nós – somos 13 associados regularizados no momento, dois que pagaram mas ainda não preencheram suas fichas de associados e dois que preencheram as fichas de associado mas não pagaram. Ou seja, nosso universo, no momento, é de 17 associados. Se, desse total, 15 se prontificarem a trazer mais um, chegaremos a 32 associados rapidamente. Para chegarmos aos 50 precisaremos conseguir mais 18 associados(as). Objetivo que podemos fixar para 30 dias após o envio da primeira mensagem. Ela marcará o início da campanha. Para tudo caminhar bem, cada um dos associados deve fazer um depoimento (no máximo 1 minuto), respondendo à questão: “Por quê me associei à APJor?”. O depoimento pode ser na forma de texto, podcast ou vídeo. Uma vez concluído, deve ser enviado para o Celso Bacarji (bacarji@gmail.com). O prazo para isso é a data da próxima reunião (7 de fevereiro de 2018). Mas cada um deve fazer isso rapidamente, o quanto antes, e mandar para o Celso. Assim ele terá condições de montar uma sequência que contribua para o crescimento da campanha ao longo do tempo (lembrem-se: a campanha vai existir por um mês). Ao mesmo tempo em que o depoimento é publicado em nossa página Web, o associado deve enviá-lo às suas listas de referência (amigos; colegas etc., no FB, Linkedin, etc.).

8 – Projeto Grupo de Estudantes da APJor: Alysson e Marlene informaram que houve nova reunião na primeira semana de janeiro, com muito apenas 3 pessoas: Marlene, Antônio Graça – coordenador do Projeto – e uma estudante (ver informações mais completas no relato da Marlene, Anexo). Houve concordância, na reunião, em relação à proposta apresentada por Alysson, Katherine Rivas e Marlene : enquanto a APJor trabalha para se tornar conhecida dos estudantes de jornalismo e dos jornalistas, publica-se os textos dos estudantes que forem sendo alcançados pelas atividades realizadas, após análise Antônio Graça, Alysson ou Katherine. Depois, pode-se alçar outros voos.

9 – Katherine Rivas se propôs a apresentar um plano de marketing para a APJor. Deve levar um cronograma para isso na próxima reunião.

10 – Sobre a nossa comunicação: houve concordância geral dos presentes em relação à necessidade de fortalecer nossa comunicação. Luciana Juhas, diretora de comunicação, disse que tanto os posts quanto os likes em nossa página vem aumentando sistematicamente.          

                                                        FIM

 

Ao pé da Ata:

Conversa com Ednilson Valia, jornalista e chefe de planejamento comercial do BrioHunter. A conversa ocorreu na tarde de 18 de janeiro, dia seguinte ao da nossa reunião. Participaram Marlene, Celso Bacarji e Fred.

Foi uma boa conversa em que constatamos haver pontos fortes em comum na visão do jornalismo e do jornalista (leiam o Manifesto deles em https://briohunter.org/manifesto/). Ficamos de fazer – cada um dos dois lados – minutas para serem trocadas e chegarmos a um consenso sobre um projeto conjunto. Do nosso lado o Celso e eu faremos a proposta.

São Paulo, 23 de janeiro de 2018,

Fred Ghedini.

 

Diretores presentes à reunião:

Fred Ghedini, presidente –  ____________________;

Dal Marcondes, vice-presidente – _______________________;

Luciana Juhas – diretora suplente/de comunicação _____________________ ;

Mônica Paula – Diretora Suplente __________________________.

 

 

Anexo

Grupo de Estudantes de Jornalismos e de Recém Formados da APJor – análise e sugestões da Marlene

Na reunião da Diretoria Ampliada de 17/01 da APjor, Marlene levantou a questão da falta de público nas reuniões do Grupo de Estudantes, a Katherine e o Alysson sugeriram fazer um novo projeto, salientaram que é complicado trazer os estudantes uma vez que a marca APJOR ainda não é tão conhecida entre esse público. 

 

Faço aqui as minhas considerações para o projeto, algumas alternativas que foram conversadas com o Graça na reunião de 13/01 a que comparecemos eu, o Graça e a Selma (estudante da FIAM): 

 

– divulgação do projeto junto aos Centros Acadêmicos, Coordenadores de Jornalismo e professores de Jornalismo para que este que seja do conhecimento de todos. Para enfrentar essa questão, levando em consideração que as aulas das faculdades retornam dia 06/02 e que em seguida vem o Carnaval, minha sugestão é que essa ação só seja efetiva a partir de 19/02. 

 

– nas minhas observações, sugeri que encaminhássemos para os estudantes que se inscreveram para nossa atividade de Jornalismo Digital e solicitassem que, sendo do interesse deles, encaminhassem textos para serem publicados na nossa página Web. Os textos passariam pela revisão do Graça, Alysson e Katherine antes de serem publicados, começando a criar de fato o espaço Foco nos Focas. 

 

– pensei também em fazer uma “roda de conversa” para esse público, começando pela diretoria da APJor, e depois ir convidando outras pessoas. Exemplos:convidar a Rose Nogueira para falar sobre a ditadura e sua passagem pelo programa Rede Mulher, na época um programa diferenciado; o Edu Ribeiro ou o pessoal da Comissão de Assessoria do Sindicato para falar sobre AI; o repórter fotográfico José Luis da Conceição, para falar sobre fotografia; o Rubens Chiri ou outro nome para falar de fotografia nos esportes, alguém para falar sobre TV, Rádio, Impressos, Mídias Alternativas e por aí vai (vou fazer a sugestão de nomes).

 

– a Katherine sugeriu que os membros da APJor façam MONITORIA sobre os assuntos que dominam: Dal Marcondes se comprometeu sobre Jornalismo Ambiental, Roberto Esteves sobre Fotografia…

 

– melhoria do site da Associação.

– trazer alguém para falar sobre trabalho/estágios: alguém para falar de estágio (tenho o contato do Assessor de Comunicação do NUBE), a Katherine sugeriu a professora Patrícia Paixão (ela fez três palestras  no Sindicato sobre assunto Estágio), alguém de RH para falar sobre o que o mercado está solicitando, pensei também no pessoal da Brio Hunter (que conversamos recentemente) que fazem trabalho de monitoria e colocação profissional para falar sobre isso também etc. 

– divulgação no Formando Focas da professora Patrícia; Casa dos Focas do Emilio Coutinho etc.

 

– outra sugestão: o Jornalismo Júnior da ECA promove palestras, debates, seminários e tem grupos “temáticos”, divulgação desses trabalhos no face etc. Poderia marcar uma roda de conversa com eles também, como eles se organizam, como escolhem os temas etc. 

 

– mais uma: poderíamos “tentar” oferecer aos estudantes participantes do nosso projeto bolsas em cursos, tanto os que vamos oferecer, quanto os de outras instituições. Cito um exemplo: a Patrícia Paixão está com a Escola do Formando Focas voltado para estudantes e recém formados. De repente, uma parceria que poderia dar uma bolsa integral para um dos nossos parceiros em troca de divulgação do curso dela e assim com outras escolas também. 

 

Ficam as minhas sugestões, e aguardo orientações para o trabalho. 

 

Marlene 

Tel. (11) 99-916-1297 (Vivo e Whats) 

19hs – Sindicato dos Jornalistas

Presentes – Fred Ghedini, Dal Marcondes, Marlene Silva, Janes Rocha, Luciana Juhas, Everaldo Gouveia, Ralph Peter, Pedro Nastri, Raul Galhardi e Fábio D’Urso.

Às 19:43 Fred deu início à pauta da reunião com as próximas atividades programadas:

  1. Crowdfunding– Fred sugeriu abrirmos uma vaquinha virtual para arrecadar recursos para investir na melhoria da nossa página na internet;
  2. Conselho Profissional– roda de discussão dia 5/5 no Barão de Itararé – Fred disse que a ideia é discutir a regulação da profissão, colocar o tema para começar a conversar, por enquanto com um grupo pequeno. É necessário desconstruir a narrativa de que o conselho é coisa do PT para censurar a imprensa.
  3. Roda de discussão com jornalistas estrangeirosestá para ser marcada, contatar Verônica.
  4. Cursos– já marcado o de Sustentabilidade para Jornalistas agora em maio (Marlene apresentou folder). Propostas: Rodrigo Capella e o novo perfil do assessor de imprensa (Junho); Erivam e as novas plataformas para fotos (Julho); Dal/Raul e os novos modelos de negócios – EAD, empreendedorismo, jornalismo de dados e videojornalismo, linguagem SQL, Excel otimizado; ficaram de apresentar uma planilha de custos.
  5. Pauta para o site– DCM atinge 27 milhões de audiência, com um modelo de negócios que dá dinheiro. Está crescendo mais que o Brasil 247 e já tem cinco pessoas contratadas. Isso pode estar mostrando a demanda por uma mídia não partidária. Entrevista com Joaquim de Carvalho (Janes).
  6. Festa– Fred relatou que a festa do dia 7/4, embora bem-sucedida do ponto de vista de encontro e diversão, deixou um prejuízo de R$ 7 mil que foi coberto com recursos pessoais dele próprio, Fred. Propôs a realização de uma nova festa para arrecadar recursos. Janes e Everaldo se posicionaram contrários.
  7. Encerramento na padaria.

 

Janes Rocha

Jornalista – Mtb 16.896

Mob: +5511 9 82110882

APJor – Reunião Aberta de 31 de outubro de 2018 – Principais deliberações.

LOCAL: auditório do Sindicato dos Jornalistas no Estado de São Paulo

PRESENTES: Fred Ghedini (presidente), Caru Schwingel (conselheira), Ralph Peter (associado), Everaldo Gouveia (associado) e Antônio Graça (não-associado)

PAUTA: 1- Conjuntura pós-eleição de Jair Bolsonaro para presidente da República; 2- Calendário/agenda de atividades 2018/2019; 3- Evento de recepção aos convidados da APJor;

 Item 1 – Conjuntura pós-eleição de Jair Bolsonaro para presidente da República: O presidente Fred Ghedini fez uma longa exposição sobre a conjuntura política, focada para a área de jornalismo, com a eleição de Jair Bolsonaro. O presidente eleito tem pontuado suas falas (antes e depois da eleição) com críticas à imprensa e aos profissionais do setor. Capítulo à parte recebeu a Folha de S. Paulo, que após denúncia sobre ação irregular na campanha do candidato, tem sido alvo de duros ataques. O uso intensivo das redes sociais e sua penetração na sociedade estão mudando a forma de as pessoas se informarem, interferindo até mesmo no trabalho jornalístico, já que profissionais estão inclusive sofrendo assédio moral. O uso das redes pelo próprio presidente eleito, que faz delas instrumento de manifestação de forma intensa, no lugar de dar entrevistas aos veículos de comunicação, começa a colocar em xeque o trabalho da imprensa. Após intervenções dos presidentes, foi decidido o seguinte: A- a APJor e a Rede Nacional de Jornalismo Ambiental vão procurar a Federação Nacional dos Jornalistas e propor que ela articule uma reunião com outras entidades da categoria para a formação de uma rede de apoio e proteção ao trabalho dos jornalistas. B- A APJor vai enviar uma carta de solidariedade ao jornal Folha de S. Paulo; C- A APJor vai implementar a criação de um observatório (um dos nomes sugeridos foi ‘De olho na Secom’) que acompanhará o relacionamento do novo governo, a partir de 1 de janeiro, com os jornalistas e veículos que cobrem particularmente as coisas em Brasília, tendo como ponto focal a Secretaria de Comunicação da Presidência da República (com este ou outro nome que vier a ter). Pensamos que as atitudes discriminatórias já demonstradas por Bolsonaro vão se manter no novo governo. Nosso objetivo é criar um desaguadouro para as manifestações dos colegas que forem atingidos por essa discriminação, assim como as perseguições, ameaças e agressões que vierem a sofrer em seu trabalho cotidiano. Antônio Graça, autor da proposta, se propôs a realizar o principal do trabalho, com a ajuda de Caru Shwingel, dos jornalistas que cobrem o Planalto em Brasília, seus editores em São Paulo e demais praças e os associados da APJor. O trabalho visa reunir também todo tipo de ataque/manifestação negativa que os jornalistas e os meios de comunicação sofrerem por parte do novo governo.

Item 2 – Calendário/agenda de atividades 2018/2019: Foi aprovado um calendário que tem como ponto principal a assembleia geral ordinária para eleição da nova Diretoria e o Conselho Fiscalizador da Gestão da APJor. Segue o calendário: 7 de novembro de 2018 (recepção aos convidados a integrarem o quadro de associados, no Tubaína Bar); 28 de novembro de 2018 (última reunião aberta do ano da diretoria, no auditório do SJSP); 12 de dezembro 2018 (confraternização de fim de ano no Tubaína Bar); 9 de janeiro 2019 (Primeira reunião aberta de 2019); 20 de janeiro 2019 (segunda reunião aberta); 21 de fevereiro 2019 (fim do prazo para convocação da assembleia ordinária de eleição da nova diretoria); 23 de março 2019 (assembleia ordinária dos associados da APJor para eleição da nova diretoria e do Conselho Fiscalizador da Gestão).

Item 3 – Evento de recepção aos convidados da APJor: no dia 7 de novembro, no Tubaína Bar, haverá evento de recepção aos convidados para se associarem à APJor. O evento é aberto.

Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a presente reunião.

 

Esta ata foi redigida por Everaldo Gouveia e revisada por Fred Ghedini, em 02 de novembro de 2018.

APJor – Reunião Aberta de 28 de novembro de 2018 – Última reunião de 2018. LOCAL: auditório do Sindicato dos Jornalistas no Estado de São Paulo. PRESENTES: Fred Ghedini (presidente), Mônica Paula (suplente da diretoria), Luciana Juhas (suplente de diretoria e diretora de Comunicação); e Everaldo Gouveia (associado). 1- Participação online na assembleia geral de março/2019: ficou decidido que faríamos um teste, preferencialmente em uma das reuniões de janeiro/fevereiro 2019, para não chegarmos à assembleia sem uma experiência prévia. 2 – Plano Bianual de Trabalho, Gestão e Orçamento – Fred apresentou um primeiro esboço do Plano. Pediu que os colegas responsáveis por áreas de atuação e a Marlene enviassem suas propostas para serem incorporadas ao Plano, que será revisto no início de 2019, antes da Assembleia Geral. 3 – O Relatório de atividades ficou de ser apresentado e debatido em 9 de janeiro, quando haverá a primeira reunião aberta do ano. 4 – Não chegou-se a debater os critérios para a formação da chapa, mas o presidente, Fred Ghedini, ficou de fazer conversas com os diretores para ver se pretendem permanecer, assim como os demais associados, para saber quais eram suas expectativas. 5 – Agenda: debatemos se deveríamos ou não fazer uma reunião aberta em 9 de janeiro. Ao realizarmos um levantamento das pessoas que estariam em São Paulo, ficou claro que seria possível realizar a reunião, que permaneceu incluída no nosso calendário de atividades. Ficou o seguinte o calendário:

  • 1 de dezembro – (horário a confirmar)– Apresentação, na Anembi-Morumbi, do Plano de Marketing para a APJor, elaborado pela Katherine e seus colegas como Trabalho de Final de Ano no Curso de Marketing);
  • 12 de dezembro – 19h– Confraternização: Tubaína Bar (Haddock Lobo, 74, Cerqueira César);
  • 9 de janeiro de 2019 – 19h30– Primeira Reunião Aberta de 2019 (local a definir);
  • 30 de janeiro de 2019 – 19h30– Segunda Reunião Aberta de 2019 (local a definir);
  • 19 de fevereiro –data prevista para a publicação do Edital de Convocação da Assembleia Geral Ordinária de 23 de março (Art. 15, item I do Estatuto) nos canais da APJor;
  • 21 de fevereiro de 2019– fim do prazo para convocação da Assembleia Ordinária de eleição da nova diretoria;
  • 23 de março de 2019, sábado – 14h30– Assembleia Ordinária dos associados à APJor para eleição da nova diretoria e Conselho Fiscalizador da Gestão, entre outros pontos de pauta (pauta e local a serem divulgados na convocação da Assembleia pelo presidente).

São Paulo, 29 de novembro de 2018.

Local: Rua Girassol, 139, 1º andar, sala de reuniões – Centro Executivo Vila Madalena. Horário: 19h30. Ordem do dia: Regimento Interno / Evento Envolverde / Grupo de Estudo sobre Regulamentação e Conselho Profissional /Outros Assuntos. Presentes: Fred Ghedini; Ralph Peter; Ana Aragão, Mara Ribeiro; Celso Bacarji, Caru Schwingel, Fábio Ramalho, Mônica Paula. 1 – Regimento interno: A ideia de elaboração do regimento interno para essa gestão foi descartada. Tendo em vista que o documento estipula regras de funcionamento, direitos e deveres dos membros da entidade e estando a mesma com outras prioridades para seu pleno funcionamento, foi sugerido que a tarefa passe para a próxima gestão.  Em substituição ao Regimento que volte a atualizar o Estatuto. A ideia é mudar a capa, atualizar algumas informações e aprovar uma versão reduzida, com texto elaborado para aprovação por Mara Ribeiro e já entregue há algumas semanas.  2 – Evento Envolverde/APJor – Confirmado dia 30/08 o evento que terá como tema “O Jornalismo no Ecossistema Digital, com participação dos debatedores Darlene Menconi e Edson Capoano. A mediação ficou por conta de Dal Marcondes e Reinaldo Canto. Foi aprovado o material para divulgação no Facebook e o mini cartaz a ser impresso. Foi solicitada que se faça a divulgação em conjunto pois há poucas pessoas inscritas. 3 – Grupo de Estudo sobre Regulamentação e Conselho Profissional – No Grupo do WhatsApp foi iniciada a coleta de perguntas sobre o tema. Houve participação de várias pessoas e o grupo de estudos vai reunir estas dúvidas para avaliar que informações poderá organizar e disponibilizar a partir das questões apresentadas. 4 – Outros Assuntos: foi apresentado que é importante rever o Planejamento Estratégico pois a entidade está em processo de sucessão. Nesse sentido é necessário avaliar o que foi pensado e o que foi realizado nesse período de atuação desta atual diretoria. Pois o objetivo do P.E é chegar às ações. Sugestão de fazer uma Assembleia em março ou abril para prestação de contas.

  • Twitter – criar conta da APJor para utilização dessa mídia social para projeção da APJor.
  • API – Associação Paulista de Imprensa – Avaliar a quantas anda o processo que pode abrir a possibilidade da Sede a API ser um local de atividades para jornalistas. Ao que tudo indica, corre-se o risco de perder esse patrimônio pois não está sendo usado com esta finalidade.
  • Anistia: Foi comentada que os sócios que quiserem entrar na APJOR mas não tem condições de pagar, que será dada anistia de um ano aprovada pela diretoria.
  • Sede: Talvez as reuniões da entidade aconteçam em um espaço alugado no Pacaembu, local que sediou um curso recente de Jornalismo e marketing Digital. A entidade precisa de uma sede fixa. Por enquanto faz reuniões no Sindicato e no prédio de uma das sócias, a Mara Ribeiro, pois em ambos não é necessário pagar pela locação.

Presentes os diretores Fred Ghedini e Luciana Juhas, a conselheira Caru Scwingel e o conselheiro Pedro Nastri

A reunião ocorreu na sala de reuniões da Diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo. O ponto tratado foi Planejamento Estratégico. Ao revermos o material elaborado até aqui, contido em 9 slides do Power Point enviado pelo Ernani Roig (anexado à Ata) verificamos que é importante aprofundar o debate sobre parte das conclusões a que chegamos. Alguns pontos precisam ser mudados. De imediato, decidimos elencar os valores em ordem alfabética (Cooperação, Ética, Honestidade, Justiça, Liberdade, Ouvir, Rigor, Transparência e Valorização da profissão) e que Fred deve escrever uma explicação para o valor “ouvir”. Reafirmamos a importância do que está afirmado na Visão, de que a APJor pretende “ser referência no processo de valorização do exercício do jornalismo”, dando grande destaque para a expressão “ser referência”. No entanto, em vez de ficarmos estacionados num processo de rever trabalhos que já foram realizados, resolvemos inverter a ordem das coisas. Vamos diretamente para as ações a serem realizadas por nós neste ano e no próximo, com uma metodologia que exponho logo a seguir. Cada um dos 12 integrantes da Diretoria Ampliada deve escrever as propostas de ações que julgue importantes para serem iniciadas e/ou realizadas entre o momento atual e dezembro de 2018. O resultado será uma lista de ações a ser enviada a todos os integrantes da Diretoria Ampliada, para ser analisada. Feito isso, na reunião seguinte, definimos de comum acordo quais as ações que efetivamente realizaremos até o final de 2018, estabelecendo – seguindo o que propôs nossa assessoria do Planejamento –

metas, responsáveis, indicadores e instrumentos, para cada ação. Uma vez concluído este processo e fechadas as ações a serem implementadas ou iniciadas no período, revemos os pontos vencidos até aqui, de traz para diante, até fecharmos efetivamente o Planejamento. Provocados pela fala da conselheira Caru Scwingel, sobre a necessidade de identificarmos com clareza os principais problemas existentes no jornalismo brasileiro, Caru e Fred ficaram responsáveis por escrever algo com base no livro “Elementos do Jornalismo – O que os jornalistas devem saber e o público exigir”, feito pela dupla Bill Kovach e Tom Rosenstiel. Trata-se de uma sistematização de inúmeras conversas realizadas com os editores dos principais veículos jornalísticos dos EUA, professores de jornalismo e escritores, no período 1997-2000. O livro foi publicado aqui no Brasil pela Geração Editorial, em 2003. Pedro Nastri responsabilizou-se por colocar em forma de texto os relatos de duas situações que vivenciou e que mostram o despreparo de jornalistas ocupando a função de assessores de imprensa.

 

São Paulo, 22 de março de 2017,

Fred Ghedini, presidente – redator da ata ____________________;

Luciana Juhas – diretora suplente/de comunicação ___________________ .

FAÇA PARTE DESTA REDE

Associe-se a APJor